Reino Unido detecta primeiros casos da variante Ômicron


Governo diz que pacientes infectados voltaram de viagem ao continente africano, onde a cepa emergiu

Porto Velho, RO - O Reino Unido confirmou, na tarde deste sábado (27), os dois primeiros casos de pacientes com Covid-19 que foram infectados pela nova variante do coronavírus, chamada de Ômicron.

Em nota, o governo afirma que os pacientes retornaram de viagem ao sul do continente africano, onde a variante foi inicialmente detectada.


"Os indivíduos com teste positivo e todos os membros de suas famílias estão sendo testados novamente e informados de que devem se isolar enquanto outros testes e rastreamento de contatos estão em andamento. Um caso foi localizado em Chelmsford e o outro em Nottingham", diz a nota divulgada à imprensa.

A UKHSA (Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido) está testando pessoas nas regiões onde os casos positivos foram detectados.

"Casos e contatos confirmados estão sendo acompanhados e solicitados a se isolarem e fazerem o teste conforme necessário", acrescenta a nota.

O secretário de Saúde e Assistência Social, Sajid Javid, ressaltou que o Reino Unido está fechando as fronteiras a viajantes de quatro países do sul da África a partir deste domingo (28).

"Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para proteger a população do Reino Unido contra esta ameaça emergente e é por isso que estamos testando a capacidade das comunidades afetadas e introduzindo restrições de viagem para mais quatro países: Maláui, Moçambique, Zâmbia e Angola. Não hesitaremos em tomar outras medidas se necessário."

Já estão na lista vermelha britânica África do Sul, Botsuana, Lesoto, Essuatíni, Zimbábue e Namíbia.

Ômicron

Autoridades sanitárias da África do Sul notificaram na quarta-feira (24) a OMS sobre a nova cepa, que é potencialmente mais contagiosa e tem múltiplas mutações.

"A situação epidemiológica na África do Sul foi caracterizada por três picos distintos nos casos notificados, o último dos quais foi predominantemente a variante Delta. Nas últimas semanas, as infecções aumentaram abruptamente, coincidindo com a detecção da variante B.1.1.529. A primeira infecção B.1.1.529 confirmada conhecida foi de uma amostra coletada em 9 de novembro de 2021", disse a OMS em comunicado na sexta-feira (26).

Com dificuldade de ampliar a cobertura vacinal e um significativo aumento de casos de Covid-19 nas últimas semanas, a União Europeia já considera a entrada da variante Ômicron no continente um episódio de "risco muito alto".

A Bélgica já detectou um caso da cepa, assim como outros países em todo o mundo, incluindo Israel, Botsuana e a região administrativa chinesa de Hong Kong.

Aqui no Brasil, ainda não há casos detectados, mas o governo também decidiu restringir a entrada de pessoas procedentes da África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Namíbia e Zimbábue a partir de segunda-feira (29).

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu